///Tratamento suor axila hiperidrose com botox
Tratamento suor axila hiperidrose com botox2019-02-06T16:52:52+00:00

Hiperidrose_axilar- aplicacao de BOTOX SAO PAULO

Tratamento suor da axila ou hiperidrose com toxina botulínica e outros métodos

Hiperidrose_axilar- aplicacao de BOTOX SAO PAULO SUORHiperidrose axilar é problema comum que pode afetar a vida profissional e social. A história clínica e o exame físico são ferramentas importantes na avaliação da gravidade e para indicação da terapia mais apropriada para cada caso. Existem vários tratamentos, incluindo terapia tópica e sistêmica, iontoforese, toxina botulínica e procedimentos cirúrgicos.

A pele do corpo humano é dotada de inúmeras glândulas sudoríparas, que secretam o fluido que chamamos de suor.

Através da sudorese, eliminamos calor e equilibramos nossa temperatura corporal.

A hiperidrose é doença caracterizada pelo excesso de produção de suor, que pode ser focal (localizada), envolvendo áreas específicas do corpo, ou generalizada, envolvendo todo o corpo. A hiperidrose generalizada pode ser fisiológica ou relacionada com disfunção autonômica secundária a desordens neurológicas, endocrinológicas, metabólicas, doenças febris, malignidades e drogas.

A hiperidrose focal geralmente é localizada e simétrica, e acomete com maior frequência axilas, mãos, pés e face.  As glândulas de suor estão distribuídas por todo o corpo, com maior concentração nas regiões palmoplantares e na testa, e são inervadas por fibras colinérgicas do sistema nervoso simpático. A cause e mecanismo exatos da hiperidrose focal é pouco compreendida. Os pacientes afetados não demonstraram nenhuma alteração histológica nessas glândulas ou alteração em sua quantidade na pele, somente na quantidade de suor secretado.

 

TRATAMENTO DA HIPERIDROSE AXILAR

Tratamento tópico da hiperidrose 

Os sais de alumínio, o cloreto e o cloridrato são os tratamentos tópicos mais comuns para hiperidrose axilar. Usados em concentrações variáveis,mas geralmente não ultrapassando 20%, esses sais formam um complexo com mucopolissacarídeos e geram um precipitado que presumivelmente bloqueia os ductos epidérmicos ou promove atrofia e vacuolização das células glandulares.

Normalmente o produto é aplicado diariamente à noite, sobre a pele seca (recomenda-se oclusão para melhores resultados), e lavado pela manhã. Ocorrendo melhora dos sintomas, seu uso é reduzido. Queimação e irritação são efeitos colaterais comuns, vistos principalmente com altas concentrações, e podem limitar o benefício do tratamento.  Outros produtos tópicos, como aldeídos, anestésicos e anticolinérgicos, já foram estudados sem que, entretanto, demonstrassem benefícios significativos.

Iontoforese
Clínica especializado no tratamento da hiperidrose axilaA iontoforese envolve a introdução de partículas ionizadas na pele através do uso de corrente elétrica em meio líquido (geralmente água pura). O mecanismo exato de ação não é conhecido, mas acredita-se que estimule oclusão dos ductos glandulares ou prejudique o gradiente eletroquímico da secreção sudoral, ou possa promover um mecanismo de feedback.

Pode provocar ressecamento da pele, descamação e fissuras no local tratado, especialmente nas axilas, o que limita seu uso nessa região. O tratamento é contraindicado em gestantes, pacientes com marcapasso, epiléticos e pacientes com próteses metálicas volumosas.

Tratamento sistêmico
O uso de anticolinérgicos orais, como atropina e glicopirrolato, é limitado pela presença frequente de efeitos colaterais, como ressecamento oral e ocular, constipação e dificuldade para urinar. Estariam indicados, entretanto, nos casos que não respondem aos tratamentos tópicos, iontoforese ou toxina botulínica.

Apesar dos efeitos adversos, existem recomendações para o uso de agentes anticolinérgicos antes da realização de procedimentos cirúrgicos. 1

Toxina botulínica , vulgarmente chamada de botox
A toxina botulínica é conhecida por bloquear fibras colinérgicas simpáticas pós-ganglionares na região das glândulas sudoríparas. Desde a década de 1990, tem sido empregada no tratamento da hiperidrose focal, e vários estudos demonstraram sua eficácia, segurança e boa tolerabilidade como opção aos tratamentos tópicos, sistêmicos e cirúrgicos. O FDA (Food and Drug Administration) atualmente aprova o uso da toxina botulínica tipo A como terapia,mas somente para hiperidrose axilar.

Frequentemente são utilizadas 50 a 100 unidades por axila, embora muitos estudos tenham demonstrado que doses superiores a 50 unidades por axila têm pouca melhora significativa.Antes do procedimento, é recomendada a realização de teste com tintura de iodo, seguida da aplicação de amido, permitindo a visualização da área afetada pelo surgimento de coloração azulada na presença de sudorese .

Para melhores resultados, os pacientes devem descontinuar o uso de antitranspirantes ou outros tratamentos tópicos cinco dias antes do teste.A intervalos de aproximadamente 1,5cm são feitas várias injeções intradérmicas, podendo ser na gordura superficial sem efeitos adversos ou redução significativa da eficácia. 5

Não há restrições na rotina do paciente após o procedimento. A ação da toxina geralmente começa a ser percebida de sete a dez dias depois e pode durar de seis a oito meses.A dor associada ao procedimento costuma ser mínima, e a qualidade de vida melhora significativamente após o tratamento, não tendo sido registrados efeitos colaterais significativos. 5 Em pesquisa recente, não foram encontradas alterações imunológicas na pele de pacientes com hiperidrose axilar tratados com toxina botulínica. 12

PROCEDIMENTOS CIRÚRGICOS PARA TRATAR HIPERIDROSE AXILAR

Quando as opções clínicas não apresentam resultados satisfatórios, pode-se utilizar uma variedade de procedimentos cirúrgicos, que inclui as cirurgias torácica (simpatectomia) e locais.

TRATAMENTO MAIS SIMPLES E EFICAZ = APLICAÇÃO DA TOXINA BOTULÍNICA NA AXILA

O tratamento da hiperidrose axilar com a toxina botulínica inicia-se com a aplicação de um creme anestésico na área a ser tratada, depois é feita a assepsia do local e aplicado o produto ponto a ponto, com distância de 1 a 2 cm entre eles. A região permanece tratada, em média, de seis a nove meses.

Veja um resumo de um famoso artigo

Estudo de pacientes com hiperidrose, tratados com toxina botulínica: análise retrospectiva de 10 anos

RESUMO
Introdução: A hiperidrose caracteriza-se por sudorese excessiva, isolada ou associada, da  testa, das mãos, dos pés e das axilas. Atinge cerca de 1% da população. O objetivo deste estudo foi observar os efeitos da toxina botulínica nos pacientes com hiperidrose, demonstrando a técnica, as áreas de incidência e a duração dos resultados obtidos.

Método: Foi realizada análise retrospectiva de 39 pacientes com hiperidrose primária tratados no período de julho de 2000 a julho de 2010, acompanhados durante 12 meses. Desses pacientes, 36% eram do sexo masculino e 64%, do sexo feminino. A idade variou de 16 anos a 41 anos. No total, foram tratadas 135 áreas. Realizou-se tratamento com injeções intradérmicas de toxina botulínica.
A dose total aplicada variou entre 37,5 U e 150 U, com dose média de 50 U para cada região tratada.

botox_hiperhidrose-suor-osasco-sao-paulo-tratamento

Resultados: O efeito terapêutico foi observado a partir do terceiro dia, com redução
de 50% dos sintomas na primeira semana do tratamento e de até 94% do quadro de hiperidrose após a segunda semana de tratamento. A redução dos sintomas durou, em média, 7 meses. Nenhum caso de hiperidrose compensatória foi observado. A mortalidade foi nula. Conclusões: O tratamento da hiperidrose primária com toxina botulínica tipo A, embora temporário, é uma
opção de tratamento eficaz, segura, pouco invasiva e com alto grau de satisfação, permitindo aos doentes o retorno às atividades profissionais no mesmo dia. Os efeitos colaterais e as
complicações são temporários, pouco frequentes e regridem sem deixar sequelas.
Descritores: Toxinas botulínicas. Hiperidrose. Sudorese. Botox

Toxina botulínica na hiperidrose da axila : bloqueia a liberação do neurotransmissor acetilcolina, ou seja, a transmissão sináptica, produzindo desnervação química eficaz da glândula e cessação temporária da sudorese excessiva. É

um tratamento de fácil realização, podendo ser aplicado com anestesia tópica, anestesia local, locorregional ou sedação.

Como desvantagens, destacam-se o efeito terapêutico temporário (4 meses a 12 meses, com duração média de 7 meses), o custo elevado e o desconforto associado às injeções múltiplas.

Duração do efeito da Toxina botulínica botox na hiperidrose da axila: No presente estudo, a duração média dos efeitos da toxina botulínica para a hiperidrose foi de aproximadamente 7 meses, embora alguns pacientes tenham reportado benefícios por até 12 meses. Esse efeito prolongado decorre, possivelmente, da utilização de terapia cognitivo-comportamental em associação à toxina botulínica, que pode reduzir a chance de retorno dos sintomas da hiperidrose após o término da ação da toxina.

 

 

WhatsApp chat